Ajudando você, Ajudo outros!

  • Fluxo da Felicidade, Terapias integradas;
  • Saia do piloto automático e assuma o controle da sua vida;
  • Barras de Access - 32 pontos em sua cabeça que vão mudar sua vida;
  • Reiki - energia da alegria, do amor e da gratidão que cura;
  • Ninguém entende mais de você do que você mesmo;
  • Saia da crise aprendendo a construir seu poder pessoal;
  • Quer mudar o mundo? Mude seu interior e verá que tudo a sua volta mudar;
  • O passado seu mestre, o presente o convite, seu futuro sua meta;
  • O Universo responde a quem você é e não ao que você quer;
  • Tome suas decisões sempre a favor das suas paixões;
  • Aproveite seu tempo explorando novas possibilidades de ser ainda melhor;
  • Viver no seu presente, é o seu melhor presente;

O relacionamento acabou, estou sem chão, o que faço agora?

No tarot há um arcano que já viveu intensamente o relacionamento e vai lhe dar um conselho. O LOUCO.

Olá, eu sou Mara Flores, Coach de Relacionamentos e dou consultoria com tarot, para uma situação como esta ninguém melhor que o louco para lhe ajudar a dar o próximo passo.
O louco, carta do tarot que não tem número, porque não há ponto de partida e nem de chegada, pode estar em qualquer posição do jogo, ora passivo, ora reativo ou ainda indiferente.

Ele responde que nenhum relacionamento acaba em um passe de mágica, provavelmente o desgaste já vinha acontecendo dia a dia e que a sua ingenuidade é continuar acreditando que a dor e o sofrimento lhe fará mais forte, que ser vítima é uma vantagem.

Na verdade esse  é o único momento que nada poderá fazer, além de esperar e muitas de tanto esperar acabam perdendo a oportunidade de reconstruir suas vidas.
A beleza da vida, é exatamente viver. É assim que ele, o LOUCO,  vive, intensamente a vida e seus relacionamentos enquanto durar, mas caminha leve para que nada o impeça de ser feliz.

O louco nunca falha, ele se engana, corrige o curso e segue em frente. Nada de malas pesadas carregando suas lembranças de dor, mágoas, arrependimentos, medos, e um espaço enorme vazio e congelado chamado amor.

 

Agora responda. Que relacionamento estava vivendo?

Nos últimos tempos ele tinha interesse de como foi o seu dia?
Notava quando você vestia ou usava algo diferente?
Ligava durante o dia só para dizer “eu te amo? ” Você tinha saudade de como ele era?
A única preliminar que seu companheiro conhecia era do time de futebol?
Era uma pessoa gentil?
Eu sei que pode ter passado momentos em que desejava apenas um elogio, mais atenção, compartilhar mais do que a rotina da casa, a rotina da vida, de ir ao mercado juntos.
De poder manter a magia do prazer em fazer as pequenas coisas e comemorar pequenas conquistas, afinal sempre quem ganha é o relacionamento.
Outro dia me ligou um jovem de 25 anos, que vou chamar de Dilan, estava confuso e desesperado com a decisão de sua namorada de 10 anos de relacionamento, simplesmente acabou.
Nesse momento o que percebo é que a maioria das pessoas ficam mais preocupados com o que o outro está fazendo do seu corpo e do seu tempo, do que pensar em reorganizar sua vida.
Eles se conheceram aos 15 anos de idade no colégio e em 10 anos a única previsão do futuro era estar juntos.
Sua profissão, maquinista de trem, não teve tempo de fazer uma faculdade porque era importante ter dinheiro para namorar e tempo para estar juntos.
Ela queria mais, queria uma casa, conforto, filhos, … E percebeu que ele estava como o vagão dos trens que dirigia, só andava sob o mesmo trilho, o caminho de todo dia, uma rotina constante.
Uma crise se instalou e por um tempo uma nova tentativa, mas com sempre era mais do mesmo, o fracasso foi inevitável.
Aí está uma grande armadilha, quando começamos um relacionamento há uma terceira “pessoa”, vou chamar assim o próprio relacionamento.
O relacionamento entrou esperando que cumprissem tudo que juraram nas noites de prazer, no momento de planejar o futuro.
A vida seguia com normalidade, tão normal que a rotina foi enferrujando o hábito de conquista, de criar uma meta realista e possível para construir uma família, uma pitada da ambição, uma motivação, um ir além todos os dias.
Ele passou a mendigar seu amor todos os dias, telefonemas, recados via mídias sociais e amigos, dramas de comoção e o pior, virou o sherlock holmes para descobrir como se vingar dela.
Com quem ela estava saindo?
O que estava fazendo?
Quando chegava em casa?
E a cada passo dessa investigação ficava cada vez mais distante da pessoa mais importante da sua vida, ele próprio.
Então lhe passei a receita do LOUCO.
Leve só o necessário, agradeça a ela por ter tomado essa decisão ou você correria o risco de passar uma vida inteira sem ter feito nada por você, o ato de estar procurando ajuda para se equilibrar é um delicioso convite para saber quem é você?
O que fracassou?
Como transformar derrotas em oportunidades?
Leia livros, faça cursos, troque de amigos, de estilo de vida, mova-se para a vida criar novas oportunidades.

Para finalizar uma Dica de ouro:

  • Separe deste relacionamento pelo menos 10 coisas que foram incríveis a ponto de querer continuar;
  • Agora o mesmo com o que ajudou a fracassar a relação;
  • Coloque tanto um, quanto outro, em ordem de importância.
  • Dê uma nota de 1 a 10 para cada um; o critério é responder, de zero a dez quanto essa situação contribuir para o final da relação? Ou de zero a dez quanto ter vivido momentos tão especiais contribuiu para minha felicidade como pessoa?
  • Coloque em ordem de importância, do maior para o menor;
  • Agora ao lado classifique em 3 níveis: 1 – depende de mim; 2 – depende do outro; 3 – circunstâncias (aqui vamos considerar a pressão do mundo e fora da relação, desde que não tenha participado nem da ação e nem da reação);
  • Isso lhe dará uma visão onde se perdeu e o que ainda resta a ser feito por você;
  • Ao que foi ruim e não soube lidar, coloque ao lado o que aprendeu em cada situação. Terá a oportunidade de entender o que  poderá fazer diferente em uma situação semelhante para obter melhores resultados.
  • Não basta escrever, terá que criar um plano de ação, como eu lhe disse, nós temos a tendência a fazer o que já estamos habituados;
  • Ao que foi bom agradeça, mesmo que pareça difícil agradecer a pessoa que lhe deixou, mas pelo tempo que ficou, por tudo que viveram e conquistaram.
  • Quando começar a praticar a gratidão coisas incríveis vão lhe acontecer;
  • Agora veja os 3 primeiros críticos e os 3 primeiros de valor que encontrou. Esta é a base para entender o que fazer mais e menos na sua vida. 

Sucesso!!! Mara Flores

 



  < Voltar

 

Vamos conversar? Entre em contato.

Envie uma mensagem