Ajudando você, Ajudo outros!

  • Fluxo da Felicidade, Terapias integradas;
  • Saia do piloto automático e assuma o controle da sua vida;
  • Barras de Access - 32 pontos em sua cabeça que vão mudar sua vida;
  • Reiki - energia da alegria, do amor e da gratidão que cura;
  • Ninguém entende mais de você do que você mesmo;
  • Saia da crise aprendendo a construir seu poder pessoal;
  • Quer mudar o mundo? Mude seu interior e verá que tudo a sua volta mudar;
  • O passado seu mestre, o presente o convite, seu futuro sua meta;
  • O Universo responde a quem você é e não ao que você quer;
  • Tome suas decisões sempre a favor das suas paixões;
  • Aproveite seu tempo explorando novas possibilidades de ser ainda melhor;
  • Viver no seu presente, é o seu melhor presente;

O legado dos nossos pais influenciam nossas vidas?

Esse é um bate-papo sobre meu ponto de vista neste assunto e seja qual for sua conclusão, será sempre um ponto de vista interessante a ser considerado.

“A dor é perceber que apesar de termos feito tudo, tudo. Ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais.”

Não importa quem somos, onde moramos ou quais são nossos objetivos, todos temos uma coisa em comum: uma herança. Ou seja, um legado social, emocional e espiritual transmitido de pai para filho. Cada um de nós é passado uma herança, vive uma herança e dá uma herança para nossa família. Não é uma opção. Os pais sempre passam para os filhos um legado… bom, ruim ou algum dos dois.

O legado emocional

Para prosperar, desde cedo aprendemos a lição que precisamos de uma sensação duradoura de segurança e estabilidade, alimentados em um ambiente de segurança e amor.

As crianças que são capazes de reconhecer as emoções dos outros se são bem-sucedidas em uma variedade de domínios psicoemocionais a partir das crenças sobre o que é ter dinheiro ou não ter dinheiro, o que é amor, saúde, família, amigos.

Nesse universo é fundamental os alicerces sobre quais valores somos criados: Confiança, Esperança, Gratidão, Ação, Realização,

Embora as vantagens de compreender e reconhecer as emoções sejam claras, sabemos pouco sobre como no individual se estabelece uma vida adulta saudável em todas as áreas da vida.

Ter os pais bem sucedidos não garante que os filhos sigam o mesmo caminho. A importância do meio familiar  no nosso desenvolvimento emocional é fundamental, copiamos modelos e herdamos histórias já compartilhadas nas nossas redes familiares pelo DNA.

Infelizmente, muitos de nós lutam para superar um legado emocional negativo que dificulta nossa capacidade de lidar com as inevitáveis ​​lutas da vida. Mas imagine-se dando lembranças calorosas da família ao seu filho.

Você pode criar uma atmosfera que proporcione ao espírito frágil de uma criança a nutrição e o apoio necessários para um crescimento emocional saudável. Isso exigirá tempo e consistência para desenvolver uma sensação de inteireza emocional, mas as recompensas são grandes.

Há pessoas que gostam de alimentar o ódio como herança, a miséria, a dor. Esse é o momento de fazer novas escolhas sobre velhos assuntos.

O que poderia ensinar de bom sobre fazer parte da família e que heranças emocionais e afetivas foram deixadas como legado?

O legado social

Para ter sucesso na vida, é mais do que aprender mais do que técnicas de gerenciamento, contabilidade, leitura, escrita e finanças. Precisamos  aprender a arte de nos relacionar com as pessoas. Se aprenderem a se relacionar bem com os outros, terão uma vantagem no jogo da vida.

Vida, isso, tudo começa lá na sua infância, no seu modelo de como aprendeu o significado de se relacionar.

Como era o relacionamento dos seus pais entre si, com os filhos, com os outros e o que lhe dizia sobre que tipo de ação deveria ter sobre tudo.

“Quem não estuda não vai pra frente” e por mais que estude acredita que nunca é bom o suficiente e vê que tem pessoas com meus conhecimento que você dando certo na vida?

“É duro vencer na vida” e não entende porque se relaciona tão mal com o dinheiro que aprece ter aversão de você? Assim que chega sai e nada fica?

“Mulher é frágil, precisa de um homem para lhe proteger” e não entende porque seus relacionamentos te sufocam quando quer mais espaço?

“Você vai apanhar para aprender a ser gente” e até hoje não sabe porque a vida lhe bate tanto?

O legado espiritual

O legado espiritual é ignorado por muitos, mas isso é um erro. Como seres espirituais, adotamos atitudes e crenças sobre assuntos espirituais de uma fonte ou outra e muitas vezes na vida adulta fazemos novas escolhas, no entanto, o que aprender com seus pais na infância sobre o que é fé de alguma maneira faz parte de você.

Eu me recordo que em uma sessão que trabalhava crença com Pedro (nome factício) me relatou que aprendeu desde cedo que Jesus era o salvador e que viria a terra buscar os escolhidos. Certo dia foi ao cinema com um amiguinho e de repente as luzes se apagaram e a mensagem veio em sua mente como um letreiro luminoso:

“E se hoje for o dia que Jesus ficará buscar os escolhidos e não me vê aqui?

Eu não serei salvo. Mais que depressa saiu correndo claustrofóbico do cinema, depois disse ao amigo que teve dor de barriga.

A herança espiritual é muito mais do que uma crença, é um barco que nos conduzirá nos momentos de desafios para Punição, Aprendizado, Carma ou simplesmente para a lógica da vida de “Ação e Reação”

O legado da dor

É sobre a dor de ter uma infância onde nossas necessidades não são satisfeitas, a raiva que temos por nossos pais e o que podemos fazer a respeito disso.

O objetivo aqui não é para nós abrigarmos autocomiseração ou culpar alguém, mas simplesmente validar algumas das experiências dolorosas, e olhar para o que podemos fazer agora para liberar alguns desses venenos emocionais que carregamos também longo.

Mesmo quando estamos vivendo em corpos adultos independentes, podemos nos sentir enjaulados por essas fortes turbulências emocionais com traços do nosso passado no qual compramos pontos de vistas, julgamentos e alimentamos a crença que há um outro culpado que não nós mesmos.

Pense apenas, que assim como você, seus pais também estavam vivendo seus próprios desafios quando você chegou e na verdade VOCÊ é só uma parte dessa história e não a história toda.

Nem todos foram abençoados com pais pacientes, amorosos, ricos e atenciosos.

Sim, alguns pais são abusivos e negligentes, mas há muitos pais que, mesmo com a melhor intenção, não conseguem atender às necessidades de nossas crianças emocionalmente intensas e sensíveis naturalmente. Freqüentemente, nossos pais faziam o melhor que podiam, com o que sabiam. Sua capacidade limitada muitas vezes encontra sua raiz no seu modelo aprendido e herdado dos nossos ancestrais.

Faça uma busca prévia para ver qual é o modelo de SUCESSO ou FRACASSO que carrega em qualquer área de sua vida.

Intelectualmente, sabemos que nossos pais não podem mudar quem são; Racionalmente, sabemos que o passado está no passado.

Em muitos níveis, nós os perdoamos. No entanto, isso não altera a realidade emocional crua, pesada, reativa, incontrolável e cheia de raiva. Embora não possamos voltar no tempo para alterar a realidade atual, temos o poder de mudar nossa realidade interior.

Isso envolve não apenas uma mudança intelectual, mas uma mudança emocional na alma.

Histórias de consultório terapêutico – Tudo começou ao observar uma colega de curso que com frequência coçava a perna, uma mancha avermelhada com a aparência de psoríase e eu apenas perguntei. “O que está negando a ver que seu corpo está gritando com você?” Então dias depois a recebi para um atendimento.

Eis a coceira, a inquietação que a estava consumindo. Ao descobrir que seu pai biológico não era o que chamava de pai, disse apenas: “Eu não tenho nada haver com isso, isso é problema deles.”

Como não ter nada haver quando se vê diante de um emaranhado de emoções? Aquela madrinha na verdade é a avó, o filho da madrinha, o jovem que dormiu com a empregada e foi enviado para estudo no exterior, é a pai que cria coisas, mas não tem sucesso e totalmente dependente da mãe.

Detalhe, quem é o namorido? Um homem com o perfil do pai dela. 

O que fazer agora? Ou procura o pai, ou cura o pai interior.

Hoje fico por aqui.

Se posso dizer algo com tudo isso? Solte seu pai e sua mãe, seja lá o que fizeram não sabiam lidar nem com as próprias vidas. 

Agora escolha você o que quer ser quando crescer.

Fique na pergunta: Quem sou eu?

O que estou escolhendo aqui que se eu mudar, muda toda minha realidade?

Que culpas minha criança tem transferido aos meus pais dos meus fracassos de adulto?

O que eu tenho feito de diferente do que aprendi para julgar os outros?

Abraços,

Mara Flores

 

 



  < Voltar

 

Vamos conversar? Entre em contato.

Envie uma mensagem