Ajudando você, Ajudo outros!

  • Fluxo da Felicidade, Terapias integradas;
  • Saia do piloto automático e assuma o controle da sua vida;
  • Barras de Access - 32 pontos em sua cabeça que vão mudar sua vida;
  • Reiki - energia da alegria, do amor e da gratidão que cura;
  • Ninguém entende mais de você do que você mesmo;
  • Saia da crise aprendendo a construir seu poder pessoal;
  • Quer mudar o mundo? Mude seu interior e verá que tudo a sua volta mudar;
  • O passado seu mestre, o presente o convite, seu futuro sua meta;
  • O Universo responde a quem você é e não ao que você quer;
  • Tome suas decisões sempre a favor das suas paixões;
  • Aproveite seu tempo explorando novas possibilidades de ser ainda melhor;
  • Viver no seu presente, é o seu melhor presente;

Desabafar!

Desabafar, é cura.

Desabafar, é criar espaço.

Desabafar, é aprender com tudo isso e seguir ainda maior que tudo.

Desabafar, é soltar o que te prende.

Desabafar, é empoderamento.

Como sempre, eu Mara Flores, vou lhe dar o meu ponto de vista, um novo olhar sobre o mesmo assunto. Não existe verdade absoluta, é sempre relativa.

Soltar o verbo

Quando ouvimos a palavra desabafo, temos a tendências que achar que é como um trem desgovernado. Tudo que é desgovernado pode causar acidentes e perdas irrecuperáveis, feridas que nunca irão cicatrizar, então o que é soltar o verbo? 

Desatar, desprender, desligar: soltar um cabo;

Deixar escapar, deixar cair, largar de mão;

Afrouxar: soltar as rédeas;

Xingar, gritar e falar tudo que pensa que estava preso na garganta, “vomitar”;

Pare, ligue o pisca alerta

Regra número um sobre desabafar! Exercitar o poder da Negociação.

Negociar é como ter nas mãos uma faca, ela pode ser uma arma ou uma ferramenta. Não precisamos abrir feridas no outro, o simples fato de nos posicionar nos colocando no lugar do outro, sempre dará melhores resultados.

Importante nesse momento: Controle suas emoções ao invés de ser controlado por elas, sai da mente reativa para analítica.

“Se eu fosse a outra pessoa, o que estaria pensando ao meu respeito?”

“O que essa pessoa fez que me magoou tanto?”

“Qual seria a maneira correta de ter dito o que me disse?”

“Como posso fazer diferente e mesmo assim me dar o direito de desabafar, sem fazer o que fez comigo?”

“O que eu gostaria de ter ouvido? O que falou nesse diálogo? No que eu contribui para que tenha acontecido dessa maneira?”

O simples fato de criar o diálogo interno antes de responder lhe dará tempo para ponderar, ajustar e depois, em outro momento, poder desabafar, ou seja, falar por impulso x falar com propriedade, é que o tornará diferente da pessoa que está lhe sufocando, humilhando, tirando vantagem, desrespeitando. 

Como virar o jogo?

Há já sei, “Bateu levou”, “Quem com ferro fere, com ferro será ferido!”, “Eu só respondi a altura”.

Toda vez que compramos pontos de vista como esses nos tornamos iguais ou ainda piores que nossos opressores.

A maioria dos conflitos é a nossa dificuldade de entender que cada um de nós tem suas próprias crenças, limitações, valores, julgamentos e tudo mais, que nos faz entrar nos embates e mesmo a dificuldade de entender o outro como um igual a nós, mesmo sendo diferentes.

Igual sendo diferente? Não entendi.

Então eu tenho que engolir tudo o que os outros fazem?

Calma, o desabafo também pode ser trocado por uma negociação e a primeira é consigo mesmo.

Eu comigo mesmo:

Quando penso em desabafar, o que vem?

Versão 1

  • Preciso dar o troco;
  • Ninguém fala assim comigo;
  • Com quem pensa que está falando?;
  • Não vou deixar barato, há não vou mesmo;
  • Vai ver com quem mexeu;

Versão 2

  • Essa situação toda, qual é a minha contribuição?
  • O que desencadeou tudo isso?
  • Em qual outra área da minha vida percebo se repetir esse tipo de situação?
  • O que mais é possível?
  • Como posso melhorar isso?

Aqui está a faca que falamos lá atrás. Use-a como instrumento e não como arma. A pergunta é mais importante do que nossas afirmações ou tentativa de encontrar uma resposta.

Fique na pergunta e entenderá mais de você e sobre seus comportamentos que estão contribuindo para que situações assim aconteçam, nesse momento perceberá que DESABAFAR é dialogar, de maneira clara, assumindo responsabilidades entre os envolvidos. Ninguém erra sozinho.

“Uma arma não mata ninguém, quem mata é quem aperta o gatilho”. por MaraSFloress

Abraços,



  < Voltar

 

Vamos conversar? Entre em contato.

Envie uma mensagem